segunda-feira, 29 de agosto de 2011

rock news


Mellinne confirma abertura para Mayan e Sirenia em SP
Após participar do Rock Feminino, um dos festivais mais importantes do Brasil, a banda Mellinne prepara-se para dar mais um grande passo em sua jovem carreira. O grupo confirmou que será responsável pelas aberturas dos shows de Mayan e Sirenia, em São Paulo.

Neste momento, o grupo formado por Christie Mary (vocal), Léo Milani (guitarra), Mark Barbero (guitarra), Emerson (baixo), Fabrício "Bill" (bateria) e Markus Mioranzza (teclado) está gravando seu primeiro EP intitulado "Primordium".

A banda Sirenia, um dos principais nomes do Gothic Metal Mundial, se apresenta, no próximo dia 29 de outubro, no Blackmore Rock Bar. Os noruegueses estão em plena turnê de divulgação do novo disco "The Enigma of Life" lançado pela gravadora Nuclear Blast Records.

Já o Mayan, verdadeiro dream team do metal holandês, tem show confirmado para o dia 26 de novembro, no Carioca Club. Os fãs interessados em conferir a performance de Simone Simons (vocal Epica), Mark Jansen (vocal Epica), Isaac Delahaye (guitarra Epica, ex-God Dethroned), Frank Schiphorst (guitarra Symmetry), Rob van der Loo (baixo ex-Delain, ex-Sun Caged), Jack Driessen (teclado ex-After Forever), Ariën van Weesenbeek (bateria Epica, ex-God Dethroned) e Laura Macri (cantora de opera italiana) devem correr para garantir presença, pois a procura por ingressos deve ser grande.

Chickenfoot: novidades sobre III e detalhes do relançamento nacional do primeiro álbum
Não! Você não está confuso e nem mesmo perdeu algum capítulo dessa história! III é o título do segundo álbum do CHICKENFOOT, supergrupo formado pelos ex-músicos do Van Halen, Sammy Hagar (vocal) e Michael Anthony (baixo), além do guitarrista Joe Satriani e do baterista Chad Smith (Red Hot Chilli Peppers).

Com esse título nada convencional para um segundo álbum, a banda levanta algumas questões: seria o título III um tributo à uma banda dos anos 70 que todos os músicos do CHICKENFOOT amam ou, como brinca Sammy Hagar, o disco é tão bom que eles pularam a dificuldade de um segundo álbum e foram direto para o terceiro?
 
O que importa na verdade é que Chickenfoot III mostra para o que veio desde o principio.
O sucesso do primeiro álbum não afetou a decisão da banda de, simplesmente, compor músicas voltadas para o hard rock dos anos 70 de forma a soarem atemporais.

Produzido por Mike Fraser e pelos integrantes da banda, as dez canções de III  é o mais próximo do que você vai chegar da perfeição em termos de rock esse ano. Elas soam frescas, cruas, mas ao mesmo tempo ricas e sofisticadas. Sammy Hagar está cantando melhor do que nunca, e a guitarra de Satriani parece estar em chamas!
A primeira música é "Big Foot", um verdadeiro hino roqueiro, mas é em canções como 
"Three And A Half Letters" e "Come Closerque o CHICKENFOOT realmente ultrapassa fronteiras.
O que temos aqui é um heavy rock como as bandas clássicas costumavam fazer nos anos setenta. Som pesado e profundo!
 
E já que falamos sobre o primeiro álbum do CHICKENFOOT, a HELLION RECORDS também lança no dia 20 de setembro uma edição especial do trabalho. Além de contar com as 12 faixas do álbum (incluindo "Bitten By The Wolf"), o lançamento duplo acompanha um DVD com trechos do show no Montreux Jazz Festival e cenas de backstage, gravações, ensaios, além dos dois videoclipes oficiais para "Oh Yeah" e "Soap On A Rope".
Confira os dois clipes no Youtube:

Mais
Se você gostou do primeiro álbum - que vendeu 800 mil cópias - certamente vai enlouquecer com Chickenfoot III, que será lançado oficialmente dia 2de Setembro em todo o mundo, inclusive no Brasil, via HELLION RECORDS. 
Hellish War será headliner de festival na Paraíba 

Entre outras novidades, no dia 05 de Novembro o HELLISH WAR se apresenta em outro importante festival brasileiro, o 5º Triumph Of Metal Festival. O evento acontece em Pouso Alegre/MG e também contará com apresentações do Calvary Death, Lothloryen, Statik Majik, Motorocker e Woslom.


Em meio às gravações de Keep It Hellish, seu novo álbum de estúdio, o HELLISH WAR foi confirmado como atração principal do festival Garagem Hold em Campina Grande, na Paraíba.

Com produção da Hold Audio & Studio Web, o evento acontecerá no dia 02 de Outubro na casa de shows Planet Hall. Além do HELLISH WAR, também se apresentarão as bandas Ouija, Albatroz, Os Malcriados e ainda dois grupos finalistas do concurso "Garagem Hold".

Essa será a primeira vez que o HELLISH WAR se apresentará no estado. O show será único em toda região Nordeste e reunirá clássicos de toda carreira da banda, além de composições inéditas.
Ingressos e outras informações podem ser obtidas no site do evento http://www.garagemhold.com.br
Confira também o vídeo oficial http://www.youtube.com/watch?gl=BR&v=DWBSe4bsLGo 

download cd

tlantic – PKJLKJLAtlantic – Pow
ATLANTIC POWER (1994)
Download Atlantic Power
DOWNLOAD
Miami Riot – Dirty Living In The City(2011)
download

Miami Riot - Dirty Living in the City

terça-feira, 23 de agosto de 2011

ENTREVISTA CRUACHAN

"Nós somos os verdadeiros criadores do Folk Metal"

Cruachan se apresenta em Curitiba e São Paulo em Outubro
2011 realmente poderá ser considerado como o ano da invasão Folk, Viking, Pagan no Brasil. Após a enxurrada de shows e eventos voltados à esta cultura, quem irá dravar pela primeira vez as longínquas terras de além mar será a banda irlandesa Cruachan, um dos nomes mais famosos do Celtic/Folk Metal Mundial.

O grupo formado por Keith Fay (vocal, guitarra, teclado, bodhrán, mandolin, percussão), John Clohessy (baixo), Colin Purcell (bateria, percussão), John Ryan Will (tin whistle, violino, banjo, bouzouki, teclado) e John O' Fathaigh (tin whistle) está em plena turnê de divulgação do álbum "Blood on the Black Robe" lançado recentemente via Candlelight Records UK.

A reportagem conversou com o líder Keith Fay para saber como está a expectativa dos músicos para conhecer os seus obcecados fãs brasileiros, a repercussão do novo álbum, além de revelações sobre o backstage da banda.

por Costábile Salzano Jr

?Blood on the Black Robe? revela uma notável mudança na sonoridade do Cruachan. O que você tem a declarar sobre este novo trabalho?
Keith Fay
: Há várias razões para isso. Nós sempre quisemos retornar a um estilo mais pesado e isso aconteceu com o passar dos anos. Em "The Morrigans Call", você definitivamente pode ouvir o nosso lado mais extremo de volta. Nós também nos sentimos responsáveis pela tendência do Folk Metal. Hoje encontramos bandas piadistas, cantando e bebendo ou merdas desse tipo. Quando nós começamos nos idos anos de 1992, nós éramos uma banda série e assim continuamos. A música Folk não é sempre divertida e animada, na música folclórica real - a música folclórica irlandesa especialmente há tanta tristeza, tanta dor, queríamos trazer isso em nossa música e mostrar às pessoas a música popular real e, por sua vez, folk metal real! Quando Karen deixou foi o último passo que precisávamos para retornarmos totalmente ao nosso som mais pesado, sendo os vocais agressivos na vanguarda!

O  que te inspira a compor. Você precisa de algum estado de espírito para começar seu processo de criação? Eu me inspiro com qualquer coisa. Na verdade, não preciso estar em um modo especial, mas eu definitivamente preciso estar focado no que estou fazendo e assim por diante.

Quais músicas deste novo trabalho que mais te agrada? O atual feedback dos fãs é o que realmente determina este trabalho com o melhor da sua carreira?
As respostas a todas as canções tem sido muito forte. Os fãs estão gostando da nossa nova obra como um todo o que é ótimo e realmente mostra o foco que colocamos no CD. Pessoalmente, estou muito feliz com "The Nine Year War".



Há algumas composições deste novo álbum que foram compostas pensando na performance ao vivo?
Sim, nós tentaremos tocar o máximo de músicas novas ao vivo em virtude dos festivais de verão aqui na Europa. A principio, iremos tocar "I am Warrior", "Blood on the Black Robe", "Thy Kingdom Gone", "Pagan Hate" and "Primeval Odium".

Um tipo de vírus do Folk Metal está se alastrando pelo Mundo. Todos os dias surgem novas bandas englobando elementos folclóricos com o Metal sem contar Korpiklaani, Finntroll, Eluveitie, Týr e outros nomes. De alguma forma este vírus chegou a promover o Cruachan?
Bem, nós e o Skyclad somos criadores deste vírus. Eu acredito que tivemos ganhos em popularidade. Infelizmente não ficamos em turnê por longos meses como muitas das bandas que você mencionou, mas nós tentamos sair em excursão quando podemos.

O que significa o paganismo para você?
O Paganismo sempre foi algo bastante particular para mim. Minhas crenças podem ser um tanto diferente para os outros, mas ainda muito relevante.

Como precursores de um estilo musical, o que faz da música do Cruachan especial?
Nós somos completamente diferentes das outras bandas que se intitulam Folk Metal e que apareceram do nada nos últimos 10 anos. Sem contar que nós estávamos aqui antes de todos eles. O mais interessante é que nossa música ainda é atual, diferente e assim será no futuro!

Qual foi a melhor platéia do Cruachan até o momento?
Eu não sei. Essa pergunta é um tanto provocativa! (risos)

Qual foi a coisa mais curiosa ou engraçada que já aconteceu em um show ou no backstage?
Oh! Por onde eu devo começar? (risos) Ok, Uma vez, em um trem noturno na Rússia, de São Petersburgo para Moscou estávamos muito bêbados e fazendo muito barulho, nós não pensamos assim, mas isso não importa. Um dos seguranças do vagão chamou a polícia para parar o trem na estação seguinte. Então, nós estávamos bebendo na nossa cabine e a nossa porta foi arrombada por dois policiais com fuzis de assalto apontando para nós! Eu quase morri de susto. A nossa descrença fora o tour manager explicando que o proprietário da empresa de turismo é de algum tipo grande mafioso em Moscou e depois os policiais pedirem desculpas para nós. Enquanto tudo isso estava acontecendo, o motor do trem foi roubado por bandidos russos! Tudo isso é verdade, tivemos que esperar por duas horas para um novo motor para seguir viagem. Insano, não? (risos)

Você tem algum tipo de ritual antes de entrar no palco?
Acredito que o nosso ritual deve ser colocarmos os nossos trajes de show (risos). É sempre um pesadelo nos prepararmos em camarins apertados e arrumarmos espaço para nos preparamos em meio aos caos de instrumentos, tour manager, promotores, fãs.



O que você pensa sobre a aumento do Pagan/Folk Metal na América do Sul?
Isso é fantástico!!! Eu vi isso acontecer desde a década de 90. Sempre recebemos e-mails de fãs da América do Sul e será um enorme prazer tocar para nossos seguidores!

O que o público pode esperar desta primeira apresentação do Cruachan no Brasil?
Esperemos ter uma experiência incrível. Adoramos tocar ao vivo, especialmente quando a multidão está animada para uma boa festa. Eu só ouvi elogios do público brasileiro e esperamos conhecer essa famosa insanidade.

Qual é a principal impressão que você realmente espera dos shows no Brasil?
Eu realmente quero mostrar aos nossos fãs o quanto nós adoramos eles. Eu espero encontar e conversar com todos. Esta é a parte mais legal de qualquer show.

Quais são os seus planos para 2011?
Esperamos ter nosso novo álbum composto por inteiro e em 2012 já entrar em estúdio. Queremos fazer o máximo de shows este ano e acredito que teremos o ano mais ocupado dos últimos anos em nossa carreira o que será excelente é claro!

Muito obrigado pela atenção e pela chance de conversar contigo. Sinta-se a vontade para deixar uma mensagem aos fãs do Brasil.
Eu que agradeço pelo espaço e um grande abraço aos nossos fãs brasileiros. Espero que realmente vocês gostem do nosso show e estamos ansiosos para encontrar vocês. Pode esperar o nosso melhor!

rock news

 
Graveyard: aclamado novo álbum será lançado no Brasil
Finalmente sairá no Brasil um dos discos mais celebrados pelos fãs e crítica em 2011: Hisingen Blues, do GRAVEYARD.
Esse é o segundo trabalho da banda sueca e chegará ao mercado brasileiro via HELLION RECORDS no final de setembro.

Formada por Joakim Nilsson (vocal e guitarra), Jonatan Ramm (guitarra), Rikard Edlund (baixo) e Axel Sjöberg (bateria), o GRAVEYARD vai fazer a cabeça dos fãs de hard rock setentista. Influenciados por ícones como Led Zeppelin e Grand Funk, o GRAVEYARD resgata a musicalidade orgânica dos anos 70. Com um delicioso clima retrô, Hisingen Blues cativa de imediato qualquer fã do estilo.

Hisingen Blues colocou a carreira do GRAVEYARD em outro nível. Há quem diga que eles são os novos queridinhos da mídia. O disco obteve nota 9.0 na renomada revista inglesa Classic Rock, enquanto que a brasileira Roadie Crew avaliou com 9.5. As resenhas positivas também vieram como avalanches em outros sites como Metal Storm (9), Metal Assault (10) e All Music Guide (4 estrelas).
Shadowside disponibiliza nova música para download
"Inner Monster Out" chega às lojas dia 1° de setembro

Os fãs da Shadowside parecem estar insaciáveis em relação ao novo álbum "Inner Monster Out". Após a banda ter revelado trechos de todas as composições deste trabalho e videoclipe da música "Angel with Horns", os seguidores pediram por mais e assim foram atendidos. O grupo brasileiro acaba de liberar para download na página PledgeMusic.com e em streaming no Facebook, a faixa "Waste of Life".

"'Waste of Life' é uma das músicas mais pesadas que já fizemos, com riffs nervosos, muita energia, um refrão marcante e a união das raízes com o moderno", declarou a vocalista Dani Nolden.

A festa de lançamento de "Inner Monster Out" e do videoclipe para "Angel with Horns" acontece no próximo dia 1 de setembro, no Studio Rock, em Santos. Durante o evento, que tem a parceria da rádio KISS FM Litoral, os músicos prometem executar um repertório especial.

"Inner Monster Out" foi gravado, mixado e masterizado por Fredrik Nordström, um dos principais produtores de Heavy Metal da atualidade, no Fredman Studio, em Gotemburgo, Suécia. O CD traz a participação dos vocalistas Mikael Stanne (Dark Tranquillity), Björn "Speed" Strid (Soilwork), Niklas Isfeldt (Dream Evil) e Roger Moreira, líder do grupo Ultraje a Rigor!.

Confira o teaser de "Angel with Horns" em http://www.youtube.com/shadowsidepress7.
Escute "Angel with Horns" no AOL Music em http://aol.it/nzblJm.
Escute "Habitchual" na Radio UOL em http://www.radio.uol.com.br/#/programa/heavy-nation/edicao/11826148 (Edição n° 20)

Links

Grande festival de Rock promete agitar o feriadão na Baixada Santista

3° edição do "Independência ou Rock" traz rock'n'roll Dr.Sin à Santos

?Independência ou.... Rock?! Se Dom Pedro I estivesse vivo, com certeza, este seria o grito inicial do festival, que promete agitar a Baixada Santista e atrair vários turistas à região. O evento, realizado pelo terceiro ano consecutivo pela produtora Fábrica do Rock, acontece no próximo dia 6 de setembro, no Clube dos Ingleses.

A principal atração da noite será o Dr. Sin, maior grupo de Hard Rock do país. Na ocasião, o power trio Andria Busic (baixo/vocal), Edu Ardanuy (guitarra) e Ivan Busic (bateria/vocal) fará o show de pré-lançamento do álbum "Animal". Completam o cast as bandas Last Jocker e Fire Monkey.

Os ingressos estarão à venda a partir do dia 15 de agosto em pontos espalhadoss pelas cidades de Santos, São Vicente e Praia Grande. O primeiro lote promocional custa apenas R$ 20,00.

O maior festival de rock da Baixada Santista reúne sempre no feriado da Independência grandes nomes do rock brasileiro como Velhas Virgens, Paul Di'anno (Iron Maiden), Matanza, Almah, Maverick 70, Taste of Sin, entre outros.

Links relacionados:
Dr. Sin: www.drsin.com.br
The Ultimate Music - Press: http://theultimatepress.blogspot.com/
KISS FM Litoral: http://pt-br.facebook.com/kissfmlitoralpaulista.rock
Facebook Festival: https://www.facebook.com/event.php?eid=148139898605491

Serviço 3° Independência ou Rock!
Dr. Sin, Last Jocker e Fire Monckey
Data: 06/09
Local: Clube dos Ingleses
Endereço: Rua Santa Catarina, 127 - José Menino
Hora: 21h

Ingressos:
1º lote - R$ 20,00 (até 26/08 ou 200 primeiros)
2º lote - R$ 25,00
3º lote - R$ 30,00
(Ingressos estudantes ou portadores de flyer promocional)

Pontos de Venda:
Clube dos Ingleses - Rua Santa Catarina, 127 - José Menino - (13) 3251-8158 - Santos
E&M - A. Afanso Pena, 289 - (13) 3227.5202 - Santos
Náutica Tattoo - Shopping Praiamar, piso térreo, (13) 3238-9873 - Santos
Realejo Livros - Rua Marechal Deodoro nº 2, Gonzaga - (13) 3289-4935 - Santos
Gudstore - Rua João Ramalho, 782 - Centro, (13) 3467-2716 - São Vicente
Náutica Tattoo - Shopping Litoral Plaza, (13) 3592-4642 - Praia Grande
Ingressos online: fabricadorockprodutora@gmail.com.


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

BIOGRAFIA IRON MAIDEN


                                                       BIOGRAFIA IRON MAIDEN
         
Em 1964, Barry Skeels, Steve Drewett, Chris Rose e Alan Hooker formaram uma banda acústica em Basildon, Essex, que acabaria por transformar-se em uma banda chamada Iron Maiden (não relacionada ao famoso Iron Maiden contemporâneo).[2]
Por volta de 1966, a formação da banda consistia em Skeels (baixo), Drewett (vocais/harmônica), Rose (guitarra solo), Tom Loates (guitarra base) e Stan Gillem (bateria); eles tocavam canções de blues e dos Rolling Stones sob o nome de "Growth". Reduzidos a uma dupla, Drewett e Skeels tocaram blues sob o nome de "Stevenson's Blues Department" em pubs e clubes de Essex e Londres.[3][4]
Em 1968 (quando se pode considerar que realmente começa a carreira do Iron Maiden), Drewett e Skeels juntaram-se a Trev Thoms (guitarra) e Paul Reynolds (bateria).[2] Utilizando o então ousado nome de Bum (em português, “vagabundo”, e também uma gíria britânica para “bunda”), a reputação da banda começou a crescer rapidamente e eles puderam gravar um acetato (God of Darkness/Ballad of Martha Kent).[5] Segundo disse Skeels em uma entrevista, "Curiosamente, não tivemos tanto sucesso como Iron Maiden como quando nos apresentávamos como Bum (risos)".[6] Eles chegaram a abrir shows para bandas e artistas como Jethro Tull, Fleetwood Mac, The Groundhogs e King Crimson.[2]
Quando eles assinaram um contrato com o selo Gemini em 1970, o nome foi modificado para o menos ousado Iron Maiden. Reynolds foi substituído por Steve Chapman na bateria e o Iron Maiden lançou o single Ned Kelly/Falling. Isso coincidiu com o filme estrelado por Mick Jagger também chamado "Ned Kelly". O single foi bem recebido pela crítica e pelo público,[5] e foi reconhecido na época por ser o single de maior duração até então lançado.[7] A boa repercussão do single faz com que a banda cresça no underground local, e ela passa a abrir shows de grandes bandas como The Who, David Bowie, Amen Corner e High Tide.[5][6] Foi realizada uma pequena turnê australiana. Na sequência, foram gravadas as masters contendo as canções para pelo menos mais dois singles (Liar e Ritual; CC Ryder e Plague) e talvez um álbum, mas as fitas foram na época perdidas e não foram lançadas, embora Skeels ache que algo possa ter sido lançado na Alemanha,[6] algo sem comprovação. O selo Gemini quebrou e Skeels deixou o Iron Maiden. A banda continuou sem ele por um tempo, mas não durou muito. As canções gravadas pela banda foram lançadas apenas em 1998 com cópias das originais encontradas por Skeels. Ao todo, as músicas gravadas pela banda guardam semelhança com a sonoridade de bandas como Wishbone Ash de seus primeiros álbuns (como na música "Falling"), Cream, Savoy Brown e com a sonoridade do movimento do blues britânico de modo geral. Este primeiro Iron Maiden é considerado por pesquisadores como uma das primeiras bandas a realmente ter em seu som elementos do que posteriormente viria a ser chamado de doom metal, como exemplificado por um trecho da incomum (para a época) letra da canção 'God Of Darkness' (em português, “Deus da escuridão”):[1]
"Ministros da morte reunidos,
Os sinos da condenação estão a soar,
O anjo da morte está a cantar,
Convocando o Deus negro da escuridão".[8]

[editar] Pós-banda

Após o final das atividades da banda, Trev Thoms teve uma carreira de destaque. Ele tocou na influente banda de blues britânico Spirit of John Morgan,[9] acompanhou astros como Graham Bond, Gregory Isaacs, Steve Gibbons e foi um membro da banda Steve Took's Horns de Steve Peregrin Took juntamente com Dino Ferari na bateria.[10] Após a separação do The Horns no final da década de 1970, Thoms e Ferari aliaram-se ao ex-Hawkwind Nik Turner no Inner City Unit. Thoms também trabalhou com Turner e Twink sob o nome Pink Wind, um híbrido de Pink Fairies e Hawkwind. Ele mais tarde formou o Atomgods e trabalhou com outros ex-integrantes do Hawkwind incluindo Ron Tree.[11] Ele e Ferari formaram a sua própria versão do Inner City Unit chamada de Judge Trev's Inner City Unit. Ele toca em inúmeros festivais pela Inglaterra como o Big Green Gathering, Cosmic Puffin Festival,[12] Glastonbury, Earthwise, etc., tocando o seu set solo acústico ou com o reformado Inner City Unit com Nik Turner. Ele atualmente faz shows sob o nome de Trev and Kev com Kev Ellis, vocalista do Bubbledubble, e também é o administrador do site Real Festival Music[13] no qual ele escreve resenhas sobre festivais verdes.
Barry Skeels, ao sair do Iron Maiden, entrou para o Zior,[7] com quem gravou dois cultuados álbuns,[14][15] um chamado “Every Inch a Man”, relançado em CD pela gravadora italiana Akarma Records,[16] e outro chamado “Zior” relançado com faixas bônus em CD[17] pela gravadora britânica See for Miles Records.[16] Após o Zior, ele tocou em outras duas bandas que não gravaram e de pouca repercussão, “Monument” e “Gypsy Rock Squad”, até mudar-se para Newcastle upon Tyne em 1984, onde entrou para uma importante banda de blues local chamada “The Blues Burglars”, cujo ponto alto foi a abertura de um show de Buddy Guy & Junior Wells em Dingwalls em Camden, Londres. Cerca de um ano depois, ele saiu da banda e tornou-se técnico de baixo para o Venon, e passou a excursionar o mundo. Após algum tempo, ele passou a trabalhar com os empresários do Venon e foi então que foi convidado a ser o agente de turnê do Skyclad. Após o Skyclad, ele permaneceu por doze anos no mesmo ramo e chegou a trabalhar para bandas como Black Sabbath, Saxon, Manowar e Yngwie J. Malmsteen. Ele também era o diretor de um clube local chamado Rock Club que recebia a apresentação de bandas como Bon Jovi, Ozzy Osbourne, Ramones, Status Quo. Durante esse tempo ele nunca parou de tocar e fazer jam sessions, até que parou de excursionar em 2000, quando casou-se. Após algum tempo, entrou para a banda “Steve Lee & the Soultions” e a “Ambience UK”, banda com a qual voltou a gravar material.[18] Além disso, fundou a Offbeat Management, empresa que empresaria a banda Skyclad.[19][6]
Um outro integrante da banda era chamado Steve Drewett, mas é incerto se ele é o mesmo que fundou o The Newtown Neurotics.[3][20][21]

[editar] Outros Iron Maidens

Este Iron Maiden também não foi o único Iron Maiden a existir antes da banda mais famosa de mesmo nome. Um outro Iron Maiden (o terceiro no total e segundo em ordem cronológica) existiu entre os anos de 1970 a 1976. Eles não lançaram algo na época, e na década de 2000 lançaram dois CDs contendo gravações antigas, um chamado "Maiden Flight" e outro chamado "Boulton Flies Again".[22][23] Ambos os álbuns foram lançados sob o nome de "The Bolton Iron Maiden" devido a um acordo com o próprio Iron Maiden, que deu o seu aval para os lançamentos (em especial Rod Smallwood). O vocalista dessa outra banda, chamado Paul O'Neill, diz que o nome Iron Maiden foi escolhido por sugestão de uma faxineira e alega que o Iron Maiden que ficou mais famoso roubou o nome da banda após conhecer o guitarrista desse outro Iron Maiden, chamado Beak (Ian Boulton-Smith), e que faleceu de câncer em 1976 (inclusive o dinheiro arrecadado com as vendas do CD "Maiden Flight" foi doado para instituições que fazem pesquisas relacionadas ao câncer em homenagem a Beak), em um show em Londres.[24] Existe uma tendência a misturar a história do The Bolton Iron Maiden com a do primeiro Iron Maiden liderado por Skeels e Thoms,[25] mas não existem registros de que o Iron Maiden liderado por Skeels e Thoms tenha feito reivindicações com relação aos direitos do nome Iron Maiden junto a Steve Harris, e o dinheiro arrecadado com o álbum “Maiden Voyage” não foi doado para instituições de pesquisa sobre câncer, ao contrário do realizado pelo The Bolton Iron Maiden.
Barry Skeels, sobre o famoso Iron Maiden, disse em uma entrevista: "Eu fiquei irritado no começo, porque pensei que fosse algum membro do Iron Maiden que eu havia fundado e que levara o nome consigo. Todavia, não foi isso que aconteceu. Era outra banda e eles já estavam com tudo encaminhado para se transformarem em um supergrupo. Nós, por outro lado, tínhamos encerrado atividades há muito tempo. Logo, aquilo não me incomodou." Porém, disse também que "Certa vez, conversei com Steve Harris e o antigo guitarrista deles, não me lembro o nome agora". Quando perguntado se o nome do guitarrista era Dennis Stratton, respondeu: "Sim. Ele mesmo". Acrescentou também: "O baterista, Clive Burr, também nos encontrou. Eles eram muito jovens e talentosos”. E fez a consideração de que “Harris sabia de nossa existência, sem dúvida. Contudo, acredito que ele conhecia ou ouvira falar do Bum, não do Iron Maiden".[6]

[editar] Discografia

[editar] Singles

  • God of Darkness/Ballad of Martha Kent (acetato, 1968 como "Bum")
  • Falling/Ned Kelly (1970)

[editar] Álbum

  • Maiden Voyage (gravado em 1970, lançado em 1998 pela Audio Archives)[26][27][2][1]
  1. Falling
  2. Ned Kelly
  3. Liar
  4. Ritual
  5. CC Ryder
  6. Plague
  7. Ballad of Martha Kent
  8. God of Darkness

rock news

Shadowside libera teaser de novo álbum na internet

Após receber diversas mensagens em suas redes sociais, a banda brasileira Shadowside resolveu acabar parcialmente com a expectativa dos fãs. O grupo, considerado um dos principais expoentes do atual cenário musical no exterior, acaba de liberar teaser de todas as composições do novo álbum "Inner Monster Out", nas páginas do MySpace, Revebnation e PledgeMusic.com, empresa responsável pela pré-venda deste registro fonográfico. As versões para "Ace Of Spades", clássica composição do Motörhead, e ?Inútil?, do Ultraje a Rigor, também estão disponíveis para audição.

O terceiro disco da carreira da Shadowside foi gravado, mixado e masterizado por Fredrik Nordström, um dos principais produtores de Heavy Metal da atualidade, no Fredman Studio, em Gotemburgo, Suécia. O CD trará a participação dos vocalistas Mikael Stanne (Dark Tranquillity), Björn "Speed" Strid (Soilwork), Niklas Isfeldt (Dream Evil) e Roger Moreira, lider do grupo Ultraje a Rigor!.

"Inner Monster Out" tem lançamento confirmado para o próximo dia 30 de agosto nos EUA, via SHP Records, e 1° de setembro no Brasil, com distribuição da Voice Music.

O tracklist oficial de ?Inner Monster Out? consiste em:
1. Gag Order
2. Angel with Horns
3. Habitchual
4. In the Name of Love
5. Inner Monster Out - featuring Björn "Speed" Strid (Soilwork), Mikael Stanne (Dark Tranquillity) e Niklas Isfeldt (Dream Evil)
6. I'm Your Mind
7. My Disrupted Reality
8. A Smile Upon Death
9. Whatever Our Fortune
10. A.D.D.
11. Waste of Life
Bonustrack
Inútil ? Ultraje a Rigor! featuring Roger Moreira

A pré-venda da versão digital do disco está disponivel em PledgeMusic.com. Parte do dinheiro arrecadado nesta campanha será encaminhado à Cruz Vermelha japonesa. Veja em http://www.pledgemusic.com/projects/shadow-side.

Imagery: sucesso no Youtube e participação em festival

The Inner Journey, disco de estréia do IMAGERY, já está fase final de gravações. Previsto para ser lançado em Outubro, o álbum
vai reunir faixas inéditas e temas que estiveram presentes na elogiada demo e nos singles lançados pelo grupo.

Durante todo o processo de gravação de The Inner Journey, o IMAGERY tem disponibilizado um diário em seu canal oficial no Youtube. Fãs de todas as partes do mundo têm acompanhado os vídeos e sempre registram sua satisfação com o material que a banda vem preparando.
"Estamos muito impressionados com tanta mensagem positiva deixada por pessoas da Europa, Asia e Estados Unidos", comemora o guitarrista e vocalista, Joceir Bertoni. "
Conquistamos muitos novos fãs através do Youtube. Além do diário das gravações, temos outros vídeos da banda tocando ao vivo, sem overdubs. Como nosso som é bastante técnico, as pessoas se impressionam com a performance da banda, principalmente por sermos um trio".
 
Para os fãs brasileiros que querem ver e ouvir de perto todo o poder de fogo do trio nos palcos, o IMAGERY será uma das principais atrações da quarta edição do OverMetal Festival que acontece nesta sexta-feira, dia 19, no Strettos Pub em Londrina/PR.
O show terá início as 22h. Além do IMAGERY, também se apresentam as bandas Panndora, Madness e Karmanhead.